Portal de eventos do IFSULDEMINAS, 11ª Jornada Científica e Tecnológica e 8º Simpósio da Pós-Graduação do IFSULDEMINAS

Tamanho da fonte: 
DOSES DO ACIDO INDOLBUTÍRICO EM DIFERENTES ÉPOCAS NA PROPAGAÇÃO ASSEXUADA DE MIRTILO
LUIS LESSI DOS REIS, MARIA LUIZA HONÓRIO CARVALHO, MARCELO LOUREIRO TEODORO, Tiago Esteves Guimarães, Lívia de Fátima Carvalho Machado, Milena Souza Moraes Reis

Última alteração: 2019-08-27

Resumo


A frutífera do mirtilo é de origem de clima temperado que tem grande perspectiva para sua expansão de produção e consumo nacional pela sua alta taxa de antioxidantes presentes. Um dos limitantes para esta expansão é a dificuldade de sua propagação. O objetivo deste trabalho foi avaliar a aplicação de doses do ácido indolbutírico (AIB) na propagação assexuada de cultivares de Mirtileiro de baixa exigência em frio nas estações outono e inverno. Foram utilizadas estacas semi-lenhosas de 15 e 5 cm do cultivar Climax que foram submetidas a cinco doses de AIB nas concentrações de 0 (água deionizada), 500, 1000, 1500, 3000 mg L-1. As estacas tratadas foram transplantadas em bandejas contendo areia lavada e posteriormente mantidas em câmara úmida com nebulização intermitente por 90 dias. Para ambas as épocas foi avaliado o percentual de enraizamento das estacas. Para as condições em que o ensaio foi realizado, o enraizamento de estacas de mirtileiro cultivar Clímax é superior a 50% com utilização de AIB na concentração de 870 mg L-1­.


Texto completo: PDF