Portal de eventos do IFSULDEMINAS, 11ª Jornada Científica e Tecnológica e 8º Simpósio da Pós-Graduação do IFSULDEMINAS

Tamanho da fonte: 
DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE CULTIVARES DE CEVADA INOCULADAS COM AZOSPIRILLUM EM MUZAMBINHO-MG
Janaína Piza Ferreira, Ariana Vieira Silva, Lucas Aparecido Minóz, Géssica Renata de Resende, Gabriel Tavares Leite, Luiz Gustavo Bernardes Reis, Marina Helena Costa, André Correia Tossani

Última alteração: 2019-08-20

Resumo


A cevada no Brasil é cultivada principalmente para fins cervejeiros na região Sul e vem se expandindo para as demais regiões. Mas, para que ocorra essa expansão, vem sendo utilizado novas tecnologias, como a inoculação com a bactéria Azospirillum. Assim, objetivou-se com este trabalho avaliar o desenvolvimento vegetativo de cultivares de cevada inoculadas com Azospirillum brasilense em Muzambinho-MG. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, sendo cinco cultivares de cevada (BRS Aliensa, BRS Sampa, BRS Manduri, BRS Itanema e BRS Kalibre) e a ausência e presença da inoculação nas sementes com A. brasilense (0 e 250 mL ha-1) com três repetições, totalizando 30 parcelas experimentais. No florescimento foram marcadas dez plantas aleatoriamente na área útil de cada parcela experimental, e realizado as avaliações de altura de planta em cm, diâmetro do colmo, número de perfilhos e comprimento de espiga. Nas condições de Muzambinho-MG, a cultivar BRS Aliensa não deve ser recomendada devido ao menor diâmetro do colmo e não há necessidade de realizar inoculação nas sementes com A. brasilense para ganho de desenvolvimento vegetativo.

Texto completo: PDF